top of page
Buscar
  • imunotera

Em Outubro nós usamos Rosa

A importância do diagnóstico precoce e prevenção do câncer de mama e do colo do útero.


Imagem de wayhomestudio no Freepik

O Outubro Rosa é celebrado anualmente com o objetivo de relembrar as pessoas sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer do colo do útero e do câncer de mama, por meio do compartilhamento de informações que proporcionem maior acesso aos serviços de diagnóstico e tratamento, contribuindo para a redução da mortalidade. Diversas empresas e institutos de saúde promovem eventos, palestras, debates, apresentações e conteúdos digitais com este objetivo.

O câncer de mama é uma doença caracterizada pelo crescimento desordenado de células da mama que formam um tumor com alto potencial de invadir outros órgãos. No Brasil, é o segundo tipo de câncer mais incidente e o câncer que mais mata mulheres. Estima-se que cerca de 66.280 mulheres por ano serão afetadas com esse tipo de câncer entre 2020- e 2022.

De acordo com o INCA (Instituto Nacional de Câncer), existem diversos fatores de risco para o desenvolvimento de câncer de mama, o estrogênio é um dos grandes contribuidores para o desenvolvimento deste tipo de câncer. Além disso, existem fatores de risco no trabalho: trabalhadoras das áreas de radiologia, agricultura, esterilização industrial de produtos farmacêuticos, veterinários e de materiais médico cirúrgicos, carregamento e distribuição de óxido de etileno, eletricistas, entre outras, estão mais expostas e, portanto, mais sujeitas ao câncer de mama. Os principais cancerígenos no trabalho são:

  • Raios - X e Gama

  • Óxido de etileno (matéria-prima para produtos manufaturados e/ou gás utilizado em processos de esterilização industrial e hospitalar)

  • Agrotóxicos organoclorados (dieldrin)

  • Bifenila policlorada (PBC)

  • Trabalho noturno

  • Exposição ambiental à fumaça do cigarro

É importante lembrar que há vários tipos de câncer de mama. Alguns se desenvolvem rapidamente, e outros, não. A maioria dos casos tem boa resposta ao tratamento, principalmente quando diagnosticado e tratado no início, portanto, realizar exames frequentemente é importante para um diagnóstico precoce e tratamento mais eficaz. Estes casos no trabalho também são evitáveis com a eliminação dos principais agentes cancerígenos. O risco de desenvolver a doença também aumenta com a idade, sendo maior a partir dos 50 anos.


Fonte: Cartilha Câncer de mama: vamos falar sobre isso? / Instituto Nacional de Câncer. – 7. ed. – Rio de Janeiro: INCA, 2022.

Como é possível observar na imagem, manter o peso corporal adequado, praticar atividade física e evitar o consumo de bebidas alcoólicas e cigarro ajudam a reduzir o risco de câncer de mama. A amamentação também é considerada um fator protetor.

A presença de um ou mais desses fatores de risco não significa que a mulher terá, necessariamente, a doença. Apesar de estar mais frequentemente associado às mulheres, os homens também podem desenvolver câncer de mama (1% dos casos). Além disso, homens trans também estão sujeitos a desenvolver a doença.


Câncer do colo do útero

Diferente do câncer de mama, o câncer do colo do útero é causado por uma infecção persistente por tipos oncogênicos do Papiloma Vírus Humano (HPV). É uma doença de desenvolvimento lento, que pode cursar sem sintomas em fase inicial e evoluir para quadros de sangramento, secreção vaginal anormal e dor abdominal associada com queixas urinárias ou intestinais nos casos mais avançados.

No Brasil, o câncer do colo do útero é o terceiro tipo de câncer mais incidente entre mulheres e o quarto tipo de câncer que mais leva a óbitos. Para o ano de 2022, foram estimados 16.710 novos casos, o que representa um risco considerado de 15,38 casos a cada 100 mil mulheres (INCA, 2021).


O diagnóstico precoce é importante no câncer de mama e no câncer do colo do útero?

Sim, o diagnóstico precoce faz toda a diferença. Para identificar o câncer de mama, a mamografia é um exame muito importante que pode ser feito de rotina (rastreamento) para detectar tumores antes do paciente manifestar os sintomas, a sua realização é recomendada em mulheres de 50 a 69 anos, a cada dois anos. Além da mamografia, é extremamente importante que as mulheres fiquem atentas aos sinais e sintomas que o corpo apresenta, realizando frequentemente o autoexame.



Já para o câncer do colo do útero, o exame preventivo Papanicolau, é recomendado para mulheres de 25 a 64 anos de idade que já iniciaram a vida sexual, a cada três anos. Até os 25 anos, o câncer do colo do útero é raro, e as lesões, mais frequentes causadas pelo HPV, se curam espontaneamente sem tratamento.

Para os dois tipos de cânceres, é comprovado estatisticamente que a expectativa de vida e a chance de que tratamentos sejam mais eficazes aumenta com a identificação precoce das doenças. Também é importante ressaltar as formas de prevenção. Assim como na prevenção do câncer de mama, manter hábitos saudáveis é um passo muito importante para prevenir o câncer do colo do útero. Além disso, o uso de preservativos durante as relações sexuais contribui para esta prevenção; outra forma extremamente eficaz na proteção contra os tipos mais prevalentes do vírus HPV (16 e 18), que podem causar este tipo de tumor, é a vacinação. A vacinação está disponível nas redes pública e particular de imunizações, e é recomendada antes do início da vida sexual, quando não houve contato com o papilomavírus humano (HPV), sendo voltada para meninas e meninos a partir dos 9 anos de idade, entretanto, também é recomendada para mulheres até 45 anos e para homens até 26 anos de idade.

De qualquer forma, estes métodos preventivos não excluem novas infecções causadas por outros tipos de vírus HPV, por esta razão, é necessário que a mulher, mesmo vacinada, faça o exame preventivo na faixa de idade recomendada.

A vacina (para crianças de 9 a 14 anos de idade) e os exames preventivos estão disponíveis nas unidades básicas de saúde próximas de sua casa. Não deixe de se cuidar, pois é um ato de amor próprio e pode salvar sua vida. Lembre-se: tão importante quanto fazer o exame, é buscar o resultado. A ImunoTera apoia essa campanha e está focada no desenvolvimento de uma plataforma terapêutica com diferentes estratégias imunológicas, focada no tratamento de lesões causadas pelo HPV que podem induzir o câncer do colo do útero, acesse: https://www.imunotera.com.br/ - Tecnologia.


Referências


Instituto Nacional de Câncer. Publicado em: 05/10/2022. Disponível em: https://www.inca.gov.br/sites/ufu.sti.inca.local/files//media/document//cartilha_cancer_de_mama_2022_visualizacao.pdf. Acesso em: 10/10/2022.



Instituto Nacional de Câncer. Publicado em: 26/09/2022. Disponível em: https://www.inca.gov.br/sites/ufu.sti.inca.local/files//media/document//folder_colo_2022_visualizacao.pdf. Acesso em: 10/10/2022.

18 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page