Buscar
  • imunotera

Desenvolvimento de vacinas baseadas em RNA mensageiro para o tratamento de doenças

Conheça o modelo eficaz de imunizante que está sendo aplicado em larga escala para o controle da infecção pelo SARS-CoV-2


Após anos de pesquisas, as vacinas baseadas em RNA mensageiro (RNAm) têm alcançado visibilidade e destaque em todo o mundo. Este ano, em especial, devido à situação pandêmica causada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2), esta modalidade de vacina obteve a aprovação formal para uso em humanos pela FDA (Food and Drug Administration), anunciando uma nova era no desenvolvimento de vacinas, que demonstram, de modo geral, uma inovadora estratégia com perfil de segurança e eficácia.

Vacinas baseadas em RNAm utilizam informações genéticas selecionadas do vírus, na forma de RNA, que contêm instruções para que as células do corpo produzam determinadas substâncias. Quando o RNAm é inserido no organismo, as células usam a informação genética para produzir a proteína de interesse, que em seguida serão apresentadas para células do sistema imunológico. Células T (linfócitos) ou B (produtoras de anticorpos) passam a identificar esta proteína e reconhecê-la como alvo. Esta imunidade desencadeada pela vacina através da produção de anticorpos e linfócitos confere ao organismo a capacidade de se preparar antes de entrar em contato com o vírus, evitando a infecção. Em resumo, ao tomar a vacina, o corpo produz anticorpos contra a proteína de interesse, que é parte do vírus, e assim, ao ser infectado, o organismo consegue reconhecer e eliminar o vírus antes da infecção ocorrer.

Além do combate a doenças infecciosas, as vacinas de RNAm também estão surgindo como uma alternativa ao tratamento de diferentes tipos de câncer, na forma de vacina terapêutica. Esta modalidade inovadora de vacina, se destaca pela eficácia, segurança e agilidade na fabricação, podendo ser produzida de forma sintética e em larga-escala, e por isso tem despertado grande interesse no setor farmacêutico. Atualmente, diversas indústrias têm investido em pesquisas e ensaios clínicos no desenvolvimento de vacinas de RNAm, principalmente na área da oncologia. A ImunoTera é uma dessas empresas e possui dentro de sua plataforma uma pesquisa voltada para o desenvolvimento de vacinas de RNAm para o tratamento de tumores induzidos pelo HPV. A plataforma dispõe de três modelos de vacinas terapêuticas baseadas em RNAm que instruem a produção da proteína TERAH-7, tecnologia desenvolvida pela empresa e que habilita o organismo a reconhecer o alvo do câncer e tratar lesões pré-cancerígenas e câncer relacionados ao vírus do papiloma humano, o HPV. (Saiba mais sobre a nossa plataforma)

“Graças às diversas possibilidades de aplicação da nossa tecnologia, acreditamos que este é apenas o início de uma grande revolução tecnológica para a produção de vacinas terapêuticas. Quando puderem ser validadas em seres humanos e o seu mecanismo de ação e efeito imunológico forem comprovados, essa estratégia antitumoral propiciará melhor qualidade de vida às pacientes que sofrem com neoplasias e câncer do colo do útero induzidas por HPV.” Bruna Porchia, CSO da ImunoTera.


Referências


1- https://www.fda.gov/news-events/press-announcements/fda-approves-first-its-kind-targeted-rna-based-therapy-treat-rare-disease

2- Pardi, N., Hogan, M., Porter, F. et al. mRNA vaccines — a new era in vaccinology. Nat Rev Drug Discov 17, 261–279 (2018). https://doi.org/10.1038/nrd.2017.243

15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo